MOVIMENTO ISRAELITA NAZARENO DO BRASIL

Wordpress, Prestashop, Joomla e Drupal Grátis

O Calendário Israelita

O Calendário Israelita

COMUNIDADE ISRAELITA NAZARENA SAR SHALOM

BETH YISRAEL ISRAELIM NETZARIM MESHICHIM SAR SHALOM


O CALENDÁRIO HEBRAICO

*Copilações e pesquisas diversas

 Calendário hebraico (do hebraico הלוח העברי) ou Calendário judaico é o nome do calendário utilizado dentro do judaísmo para a determinação da data das festividades, dos serviços religiosos e de outros eventos da comunidade.

O calendário hebraico é um calendário do tipo lunar baseado nos ciclos da Lua, composto alternadamente por 12 ou 13 meses de período igual ao de uma lunação, de forma a que o primeiro dia de cada mês é sempre o primeiro dia de lua nova. Nos tempos bíblicos a determinação dos tempos era realizada pela observação direta de testemunhas designadas para este fim, método seguido pelos Caraítas até os dias de hoje, os quais determinam o primeiro mês do ano como Abib.

O método atual entre os judeus rabínicos no entanto é um calendário fixo criado devido à necessidade de um calendário permanente para comunidades que vivessem fora de Israel. Este calendário tem base lunar, mas ajusta-se pelo calendário solar (enquanto o Calendário antigo ajustava-se pela maturação da colheita) para a inclusão de um novo mês, além de determinar o início do ano no mês de Tishrei.

 

 

 

ROSH CHODESH – A LUA  NOVA

 

 

 

 

 

 

Salmos 81:3

Tocai o Shofar na lua nova, no tempo apontado da nossa solenidade.

 

Isaías 66:23

E será que desde uma lua nova até à outra, e desde um sábado até ao outro, virá toda a carne a adorar perante mim, diz o YHWH.

 

 

 por Rabino Avraham Cohen


Há quanto tempo é conhecida a duração do ciclo lunar? É possível que na Torá - revelada por D'us a Moisés há mais de 3.300 anos - estejam incluídos dados astronômicos exatos, os quais a NASA e outros centros de investigação do mundo só descobriram há poucos anos? E que isto só se deu graças aos novos recursos eletrônicos e tecnológicos que possuem? Para nosso assombro, a resposta é uma só: sim.

 

Antes de contar sobre como D'us tirou nosso povo do Egito, a Torá relata que Ele transmitiu a Moisés a primeira mitzvá (preceito) a ser cumprida pelo povo judeu. D'us ordenou que Moisés (e todos os tribunais rabínicos que o sucederiam) fixasse os meses do ano através do cálculo do ciclo lunar, ou seja, do tempo que a Lua leva para dar uma volta completa em torno da Terra.

O Midrash conta que D'us mostrou a Moisés a Lua nova e disse: "Quando a Lua se renovar, será Rosh Chodesh (começo do mês)". Segundo a Guemará, no tratado de Menachot 29A, Moisés sentiu dificuldade para entender o sistema de fixação do mês, até que D'us indicou o formato de como a Lua deveria estar.

É sabido que, no começo do mês, a Lua é vista da Terra em uma forma parecida com uma foice. Com o passar dos dias, vai crescendo e, na metade do mês, podemos ver a Lua cheia. Depois, começa a diminuir até desaparecer de nossa visão, para depois "nascer" novamente. O dia do nascimento da Lua marca o começo de mês judaico: Rosh Chodesh. O ato de anunciar e fixar o primeiro dia do mês é chamado Kidush Hachodesh (Santificação do Mês).

A determinação do Rosh Chodesh no calendário judaico tem uma grande importância, pois as festividades são celebradas de acordo com uma data fixada no mês judaico. Cada uma das nossas festas envolve leis específicas: Pessach é celebrado no dia 15 do mês de Nissan. A partir dessa data é proibido consumir chamets (alimentos fermentados) por sete dias; Yom Kipur, no dia 10 de Tishrei, é um dia de jejum e arrependimento. No dia 15 de Tishrei começa Sucot, festa na qual comemos e dormimos em cabanas durante sete dias. Um erro na contagem do Rosh Chodesh significaria deixar de comemorar estes dias e, assim, transgredir um preceito divino.

O Talmud nos relata a seguinte história: "Uma vez, no dia 29 do mês, cobriram-se os céus de nuvens e apareceu algo similar à Lua. O povo interpretou que esse era o dia de Rosh Chodesh e disse ao Beit Din (Tribunal Rabínico) que já estava na hora de santificar o mês. Raban Gamliel respondeu, então: 'Aprendi através da tradição oral, com a família de meu pai, que a Lua não se renova em menos de 29 dias e meio (doze horas), dois terços de hora e setenta e três frações'".

Raban Gamliel, que viveu no século I da era comum, alegou ter aprendido através da transmissão oral da Torá que o ciclo da Lua nunca pode durar menos de 29 dias e tantas partes. Mesmo contrariando todo o povo, que dizia estar vendo a Lua, Raban Gamliel sabia que a informação que recebera de seu pai, e seu pai do pai dele, até Moisés, era perfeita.

Quando Raban Gamliel falou de "frações" não se referia aos minutos, mas sim a frações de uma hora. Nossos Sábios utilizaram, por razões de praticidade, um sistema para medir o tempo no qual cada hora estava dividida em 1.080 frações.

Depois de estudar o ciclo da Lua por meio de satélites, telescópios e supercomputadores, o cientista-chefe da NASA (National Aeronautics and Space Administration), Carl Sagan, chegou à seguinte conclusão: o tempo que a Lua leva para se renovar, medido entre um nascimento e o seguinte é de 29,530588 dias. Como podemos ver, existe uma ínfima diferença entre seu cálculo e o cálculo da Torá (0,000002 dias)! A NASA quase chegou lá...

Porém, ficamos mais assombrados quando foi difundido um estudo mais recente realizado na cidade de Berlim, Alemanha, no qual essa diferença entre o cálculo da ciência moderna e o da Torá ficou menor ainda. Esta investigação concluiu que o ciclo da Lua é de 29,530589 dias (Astronomy and Astrophysics, Loudlt Bómstein Group, vol.1 sec. 2.2 4). Desta vez os cientistas erraram por somente 0,000001 dias!

Nós, que acreditamos sem a menor dúvida que a Torá foi entregue ao nosso povo pelo Criador do Universo, sabemos que entre os detalhes de muitas mitzvót foram revelados grandes segredos da criação do mundo, os quais D'us considerou necessário que soubéssemos para poder cumprir as mitzvot da melhor forma possível.

O exemplo do cálculo do ciclo lunar necessário para fixar as datas das festividades da Torá é apenas um entre muitos. Mas já basta para que uma pessoa inteligente, observadora e desprendida de influências e interesses criados por conhecimentos anteriores chegue à conclusão de que é absolutamente impossível que um ser humano tenha escrito a Torá.

Raban Gamliel não hesitou nenhum instante em contradizer o povo que veio pedir que fosse declarado o novo mês. Era claro para ele que, segundo nossa tradição, ainda não podia ser declarado o Rosh Chodesh. Atualmente, graças à ciência moderna, sabemos claramente que o que eles viram não foi a Lua nova, mas sim uma imagem provocada pelas sombras das nuvens que cobriram o céu naquela noite.

Um cientista norte-americano disse que a ciência anseia por saber o que há do outro lado do monte. Para tanto, empreendem uma longa e cansativa escalada ao topo do monte. Mas quando conseguem chegar lá em cima, encontram um grupo de pessoas que seguem os mandamentos e os ensinamentos da Torá que dizem: "Ufa! Finalmente vocês chegaram!".

Como conclusão, só resta lembrar as palavras da Torá: "... Porque isto (a Torá) é a vossa sabedoria e o vosso entendimento à vista dos povos, que ouvirão todos estes estatutos e dirão: 'Somente esta grande nação é povo sábio e entendido' " (Deuteronômio 4:6). Hoje, dois mil anos depois de Raban Gamliel pronunciar suas palavras, com a sofisticação da tecnologia e da ciência, em uma geração que tem como lema "ver para crer", também pode ser demonstrada claramente a veracidade da Torá.

Cálculo lunar segundo tradição oral (Raban Gamliel):

Ciclo da lua = 29,5 dias + 2/3 de hora + 73 frações

Uma hora = 1.080 frações de hora 2/3 de hora = 2/3 de 1.080 = 720

Ciclo da Lua = 29,5 dias + 720 frações + 73 frações de hora

Ciclo da Lua = 29,5 dias + 793 frações

Passando as "frações de hora" para horas, ou seja, dividindo-as por 1.080, temos:

Ciclo da lua = 29,5 dias + 0,734259 horas

Convertendo as horas em dias, ou seja, dividindo-as por 24:

Ciclo da lua = 29,5 dias + 0,030590 dias

Ciclo da lua segundo Raban Gamliel = 29,53059 dias

 

 

 

 

 

 

(E A NASA (QUASE) CHEGOU LÁ...
por Rabino Avraham Cohen)

 

 

 Meses do calendário judaico e suas durações

 

Nomes hebraicos dos meses e seus correspondentes babilônicos

Número

Hebraico

Duração

Análogo babilônico

Notas

1

Nissan

30 dias

Nisanu

ou Aviv no Tanakh

2

Iyar

29 dias

Ayaru

ou Ziv no Tanakh

3

Sivan

30 dias

Simanu

 

4

Tammuz

29 dias

Du`uzu

 

5

Av

30 dias

Abu

 

6

Elul

29 dias

Ululu

 

7

Tishrei

30 dias

Tashritu

chamado Eitanim no Tanakh

8

Heshvan

29 ou 30 dias

Arakhsamna

às vezes chamado Marcheshvan (Amargo Cheshvan); chamado de Bul no Tanakh

9

Kislev

29 ou 30 dias

Kislimu

às vezes chamado Chislev

10

Tevet

29 dias

Tebetu

 

11

Shevat

30 dias

Shabatu

 

12

Adar I

30 dias

Adaru

 

13

Adar II

29 dias

Adaru

 


Número

Dia

Hebraico

Nome em hebraico

Abreviação

1

Domingo

יום ראשון

Yom Rishon

יום א׳(primeiro dia )

2

Segunda

יום שני

Yom Sheni

יום ב׳(segundo dia)

3

Terça

יום שלישי

Yom Shlishi

יום ג׳(terceiro dia)

4

Quarta

יום רבעי

Yom Reviʻi

יום ד׳(quarto dia)

5

Quinta

יום חמישי

Yom Ḥamishi

יום ה׳(quinto dia)

6

Sexta

יום ששי

Yom Shishi

יום ו׳(sexto dia)

7

Sábado

יום שבת mais usual שבת

Yom Shabbat

יום ז׳(sétimo dia ou Shabat)

 

 

 CALENDÁRIO HEBREU ANTIGO

(Adotado pelos Israelitas Nazarenos)

 

 

Nome

Bíblico

Referência

Bíblica

Nome

Kanaanita

Nome

Babilónico

Nome Macedónico

Mês primeiro

Chodesh Harishón

Exo. 12:2

Aviv  -Exo 12:2

Nisán -Neh 2:1

Xánticos

Mês segundo

Chodesh  Hashení

Exo 16:1

Ziv -1Rei 6:1

Iyár

 

Mês terceiro

Chodesh Hashelishí

Exo 19:1

 

Siván -Est 8:9

 

Mês Quarto

Jódesh Harevií

1Rei 25:3

 

Tamúz

 

Mês Quinto

Jódesh Hajamishí

Jere. 15:1

 

Ab

 

Mês Sexto

Chodesh Hashishí

1Cro 27:9

 

Elúl -Neh 6:15

 

Mês Sétimo

Chodesh  Hashevií

Gén. 8:4

Etanim -1Rei 8:1(2)

Tishrí

 

Mês Oitavo

Jódesh Hasheminí

1Rei 12:32

Bul -1Rei 6:38

Marjeswán

e Jeshwán

 

Mês Nono

Chodesh  Hateshií

1Cro 27:12

 

Kisléw -Zac 7:1

 

Mês Décimo

Chodesh  Haasirí

Gene 8:5

 

Tévet -Est 2:16

 

Undécimo Mês

Ashté-asár Chodesh

Deu 1:3

 

Shevát -Zac 1:7

 

Duodécimo Mês

Shené-asár Chodesh

2Rei. 25:27

 

Adár -Esd 6:15

Distrós ?

 

 


 

FONTES: Biblia Hebréia; Dicionário da Biblia -Herder.